Viana do Castelo deve ter a ambição de estar no ‘top ten’ dos mais exportadores

“Há seis anos tínhamos duas empresas na área tecnológica e dos serviços partilhados, hoje temos 11 e empregam mais de 400 colaboradores. A economia é estrutural para o crescimento e tem de ser levada a sério”

O candidato do Partido Socialista (PS) à Câmara de Viana do Castelo, Luís Nobre, assumiu que o concelho deve ter a ambição de estar na lista dos dez mais exportadores do país, pelas condições que disponibiliza, incluindo mão de obra altamente qualificada. Nos últimos oito anos, o concelho subiu 16 posições neste ranking e tem tudo para não ficar por aqui.

“Há seis anos tínhamos duas empresas na área tecnológica e dos serviços partilhados, hoje temos 11 e empregam mais de 400 colaboradores. A economia é estrutural para o crescimento e tem de ser levada a sério”, afirmou Luís Nobre, num encontro, realizado sexta-feira, com representantes e agentes associativos da freguesia de Alvarães.

Se em 1993, no início da gestão do PS na Câmara de Viana do Castelo, as exportações representavam, segundo a PORDATA, 146,9 milhões de euros, em 2019 esse valor atingiu os 752,6 milhões de euros, colocando o concelho no 20.º lugar entre os mais exportadores de Portugal.

“Agora, temos de ter a ambição de integrar Viana do Castelo no ‘top ten’ dos concelhos mais exportadores do país, porque isso é possível, mantendo o trabalho que tem sido executado”, sustentou Luís Nobre.

Reconheceu que o emprego em Viana do Castelo “está mais qualificado”, com “mão de obra altamente qualificada” em todas as áreas, o que, juntamente com a aposta da Câmara Municipal na criação de condições para a instalação ou expansão de empresas, levou diversificação do tecido empresarial do concelho nos últimos anos.

“Hoje temos clusters na área automóvel, metalomecânica, energias renováveis, logística, tecnologia e ligados ao mar”, explicou o candidato do PS à Câmara de Viana do Castelo.

E esta aposta do executivo socialista, que Luís Nobre integra há́ 16 anos, já́ começou a dar frutos: “Nestes últimos oito anos fomos o concelho que mais cresceu, subimos 16 posições nos maiores concelhos com capacidade de exportação, contribuímos positivamente para a balança comercial do país”.

Para o candidato e atual vereador com o pelouro do Desenvolvimento Económico na Câmara de Viana do Castelo, estes são indicadores que “apontam que estamos no bom caminho, sendo o resultado de um trabalho sério e objetivo”.

“E não são indicadores sensoriais, são indicadores de entidades competentes como o Instituto Nacional de Estatística e a PORDATA”, sublinhou.

Apontou Alvarães como exemplo da aposta na economia e na disponibilização de condições à instalação das empresas, Luís Nobre recordou que naquela freguesia está a nascer uma nova zona industrial, com cerca de 25 hectares, num investimento de quase nove milhões de euros e que já́ tem praticamente esgotadas as áreas de localização empresarial.

“Cada posto de trabalho que se cria é um contribuído imensurável para a realização e garantia da dignidade humana e social, a concretização de muitos projetos de vida, de vianenses ou de quem se fixa no concelho”, disse ainda, assumindo que Viana do Castelo tem conseguido destacar-se num cenário de competição entre territórios.

Na reunião do candidato socialista em Alvarães estiverem presentes agentes culturais, desportivos, associativos, representantes de instituições escolares e sociais e vários empresários locais, num encontro marcado pelo trabalho feito localmente, como ao nível da centralidade e da mobilidade daquela vila.

“Conseguimos revolucionar Alvarães. É um território muito específico e que tem trabalhado muito bem a sua heterogeneidade no encontro de soluções. Em conjunto, ambas as autarquias tomaram decisões que serão estruturais no futuro, porque foram pensadas e planeadas e irão resolver problemas de décadas”, afirmou Luís Nobre.

Neste encontro foram ainda recolhidas sugestões para melhoria das zonas industriais no limite da freguesia e abordado o projeto de reconversão ambiental do Parque do Alvito, bem como a construção do Núcleo Museológico da Cerâmica.

Viana do Castelo deve ter a ambição de estar no ‘top ten’ dos mais exportadores

“Há seis anos tínhamos duas empresas na área tecnológica e dos serviços partilhados, hoje temos 11 e empregam mais de 400 colaboradores. A economia é estrutural para o crescimento e tem de ser levada a sério”

O candidato do Partido Socialista (PS) à Câmara de Viana do Castelo, Luís Nobre, assumiu que o concelho deve ter a ambição de estar na lista dos dez mais exportadores do país, pelas condições que disponibiliza, incluindo mão de obra altamente qualificada. Nos últimos oito anos, o concelho subiu 16 posições neste ranking e tem tudo para não ficar por aqui.

“Há seis anos tínhamos duas empresas na área tecnológica e dos serviços partilhados, hoje temos 11 e empregam mais de 400 colaboradores. A economia é estrutural para o crescimento e tem de ser levada a sério”, afirmou Luís Nobre, num encontro, realizado sexta-feira, com representantes e agentes associativos da freguesia de Alvarães.

Se em 1993, no início da gestão do PS na Câmara de Viana do Castelo, as exportações representavam, segundo a PORDATA, 146,9 milhões de euros, em 2019 esse valor atingiu os 752,6 milhões de euros, colocando o concelho no 20.º lugar entre os mais exportadores de Portugal.

“Agora, temos de ter a ambição de integrar Viana do Castelo no ‘top ten’ dos concelhos mais exportadores do país, porque isso é possível, mantendo o trabalho que tem sido executado”, sustentou Luís Nobre.

Reconheceu que o emprego em Viana do Castelo “está mais qualificado”, com “mão de obra altamente qualificada” em todas as áreas, o que, juntamente com a aposta da Câmara Municipal na criação de condições para a instalação ou expansão de empresas, levou diversificação do tecido empresarial do concelho nos últimos anos.

“Hoje temos clusters na área automóvel, metalomecânica, energias renováveis, logística, tecnologia e ligados ao mar”, explicou o candidato do PS à Câmara de Viana do Castelo.

E esta aposta do executivo socialista, que Luís Nobre integra há́ 16 anos, já́ começou a dar frutos: “Nestes últimos oito anos fomos o concelho que mais cresceu, subimos 16 posições nos maiores concelhos com capacidade de exportação, contribuímos positivamente para a balança comercial do país”.

Para o candidato e atual vereador com o pelouro do Desenvolvimento Económico na Câmara de Viana do Castelo, estes são indicadores que “apontam que estamos no bom caminho, sendo o resultado de um trabalho sério e objetivo”.

“E não são indicadores sensoriais, são indicadores de entidades competentes como o Instituto Nacional de Estatística e a PORDATA”, sublinhou.

Apontou Alvarães como exemplo da aposta na economia e na disponibilização de condições à instalação das empresas, Luís Nobre recordou que naquela freguesia está a nascer uma nova zona industrial, com cerca de 25 hectares, num investimento de quase nove milhões de euros e que já́ tem praticamente esgotadas as áreas de localização empresarial.

“Cada posto de trabalho que se cria é um contribuído imensurável para a realização e garantia da dignidade humana e social, a concretização de muitos projetos de vida, de vianenses ou de quem se fixa no concelho”, disse ainda, assumindo que Viana do Castelo tem conseguido destacar-se num cenário de competição entre territórios.

Na reunião do candidato socialista em Alvarães estiverem presentes agentes culturais, desportivos, associativos, representantes de instituições escolares e sociais e vários empresários locais, num encontro marcado pelo trabalho feito localmente, como ao nível da centralidade e da mobilidade daquela vila.

“Conseguimos revolucionar Alvarães. É um território muito específico e que tem trabalhado muito bem a sua heterogeneidade no encontro de soluções. Em conjunto, ambas as autarquias tomaram decisões que serão estruturais no futuro, porque foram pensadas e planeadas e irão resolver problemas de décadas”, afirmou Luís Nobre.

Neste encontro foram ainda recolhidas sugestões para melhoria das zonas industriais no limite da freguesia e abordado o projeto de reconversão ambiental do Parque do Alvito, bem como a construção do Núcleo Museológico da Cerâmica.

Outras notícias